Resumo das Jornadas Pedagógicas de Design e Multimédia - 2º semestre 2018/2019

NEI Blog Screenshot

RESUMO DAS JORNADAS

LDM 2º SEMESTRE

Análise dos inquéritos de licenciatura pela respetiva coordenadora Alice Geirinhas

A professora frisou que de um modo geral, design se encontrava ligeiramente abaixo de informática em sondagens. Em relação à taxa de esforço o feedback foi positivo, 60% dos alunos considerou adequada. No que toca à assiduidade, a maioria dos alunos queixou-se de incompatibilidade de horários para quem se encontrava a fazer cadeiras de anos anteriores. Em relação aos comentários gerais os alunos queixam-se da ilegalidade do pacote da Adobe (tendo de ser pirateado), más condições de salas, fraco acesso à internet e poucas tomadas (sendo as três últimas, mais evidentes no Departamento de Arquitetura). Em relação aos comentários, os números são bastante elevados em relação aos outros anos. Houve diversos comentários mas todos muito coerentes.

Análise dos inquéritos de mestrado pelo respetivo coordenador Tiago Cruz

O professor tentou não alongar-se muito para não cair em repetição, uma vez que muitas das queixas existentes eram gerais às duas modalidades (infraestruturas,salas de aula,...). No que toca à vertente pedagógica, os alunos consideraram a carga adequada na sua maioria, houve, no entanto, uma queixa que teve que ver com a duplicação de informação nas cadeiras. Em relação à cadeira de Design de Som, as necessidades de espaço e material eram, e continuam a ser, muito específicas e não existem neste momento. Outra questão teve que ver com a requisição das salas com computador, a secretaria não estava a permitir essa requisição. Na parte dos métodos de avaliação, há casos em que a informação é muito incompleta. No que diz respeito à pertinência do conteúdo de algumas cadeiras o professor não se pronunciou. Foi falada na questão da repetição de alguns assuntos que já são dados na licenciatura e na “pertinência”. Isto acontece, na opinião do professor, porque é necessário dar algum background aos alunos que vêm de fora de LDM (o MDM prevê entrada de alunos de outras áreas) Em relação às notas gerais a atual organização do mestrado satisfaz os alunos de um modo geral, no entanto ainda há muito trabalho a percorrer.

Notas gerais do Coordenador do Pelouro de Pedagogia Miguel Vasconcelos

O aluno salientou que a realização dos inquéritos do semestre tinha sido um pouco mais objetiva do que no semestre passado. A seu ver o número de pessoas interessadas nesta questão tem vindo a diminuir o que é lamentável.

Primeiro painel - Aproveitamento dos Alunos

LDM 1ºANO

Desenho e Representação: O principal aspeto referido foi o critério de avaliação dos trabalhos desenvolvidos, mas nenhum aluno se manifestou para argumentar o problema.

Fundamentos Matemáticos: Foram referidos, a má estruturação do programa e o mau acompanhamento por parte da docente. Em relação a esse assunto, a coordenadora Alice Geirinhas promete que vão haver mudanças no próximo ano letivo, que vão ser criadas estratégias de melhor acompanhamento dos alunos e que a regente da cadeira estará mais sensibilizada.

História do Design: Ninguém se pronunciou relativamente à crítica de as aulas teóricas serem pouco apelativas. O professor João Bicker também não quis tecer comentários.

Introdução à Programação e Resolução de Problemas: Não foram apontados quaisquer defeitos à cadeira.

LDM 2ºANO

Arte e Cultura Moderna: Os alunos queixaram-se das aulas serem bastante confusas, o que leva a que por vezes se perda “o fio à meada”. Não houve nenhuma conclusão relativamente a futuras alterações na cadeira.

Projeto 1: Foi relatada desorganização nos prazos de entrega de submissões. Houve um aluno que frequentou a cadeira que referiu é um aspeto negativo mas o professor conseguiu depois gerir a coisa bem. Uma aluna de 2ºano afirmou que de facto o semestre passado não correu assim tão bem, inclusive referiu que a carga de trabalho não estava bem distribuída, o início do semestre é muito leve e acumula o trabalho todo no final(mas ninguém quis saber desta parte porque a avaliação é positiva então passa-se à frente). Um professor relembrou que em época normal podem ser marcadas entregas principalmente se a avaliação for contínua. A aluna respondeu que apesar disso houve desorganização e para além disso não souberam quais eram as suas notas em cada meta. O professor disse que é um dilema complicado de resolver. Para além disso não é muito desejável que as entregas se prolonguem para época normal. Outro professor referiu que o prof também teve alguns problemas de saúde e que foi uma coisa pontual, a disciplina até correu bem.

Tecnologias da Internet: A avaliação foi maioritariamente positiva, mas foi mencionado que as aulas práticas eram lecionadas antes das aulas teóricas. Uma solução apresentada foi a criação de aulas teórico-práticas. O regente da cadeira discorda desta solução argumentando que o modelo atual é o mais correto. A solução do docente passaria por reformular a cadeira.

Tipografia em Meios Digitais: Foram mencionados que os critérios de avaliação poderão ser ambíguos, mas um docente achou incorreto colocar-se esta questão, visto que é uma cadeira de design. O aluno Rúben Baptista não partilha a mesma opinião de que estes são ambíguos, porque o docente explicou corretamente os critérios. Os professores questionaram-se do porquê de os alunos não irem falar com eles durante as aulas ou no horário de gabinete. O professor Nuno Coelho mencionou que tem sempre o cuidado de perguntar se existem dúvidas, mas os alunos respondem sempre negativamente.

LDM 3º ANO

Arte e Cultura e Contemporânea: Relataram-se aulas desorganizadas, entrega muito tardia das notas de exame. Ninguém sabia se tinha a cadeira feita ou não. Houve um atraso de lançamento de notas e os alunos foram a exame. Um professor diz que é grave isto não ter chegado à direção. É uma vergonha não existirem enunciados de nada.

Engenharia de Software: Relatou-se excesso de carga, má comunicação entre os docentes. Aluna diz que, de facto essa má comunicação existe e, na teórica, os professores dizem uma coisa e na prática dizem outra. O aluno Cesário Silva salientou que o professor Mário Rela tem uma boa ideia do que quer fazer, mas parte do princípio que as pessoas se conseguem organizar e isso não acontece. “Trabalham sempre os mesmos 10 num grupo de 30”. Um professor questiona-se do que é que aprendemos nesta cadeira, os alunos responderam com - aprender a trabalhar em equipa, realizar boa documentação e saber trabalhar com um cliente. A aluna Madalena Santos também não concorda com o excesso de carga. Outro aluno diz que de facto havia uma grande dessincronização, um professor destruía tudo o que se trabalhava com o outro. Em relação à carga concorda com o Cesário houve pessoas que nem sequer trabalhavam e uns levavam outros às costas. O coordenador diz que isto está muito longe do que ele considera ser um funcionamento ideal desta cadeira. Ele já deu esta cadeira e diz que o que se faz hoje em dia (gestão de empresa) é algo utópico. Há alunos que aprendem muito pouco e outros que aprendem imenso. Um aluno diz que os problemas são evidentes.

Projeto 3: Foi mencionado que o projeto podia ser mais apelativo e que os métodos des avaliação foram ambíguos. Um aluno diz que podia haver alunos que não percebem como a nota vai de encontro aos critérios, concorda também que os projeto podia ser mais apelativo. O professor Tiago Cruz exibiu os critérios e outro professor pediu que os alunos perguntassem pessoalmente e relembrou que é uma cadeira de design.

Sistemas Informáticos: A carga de trabalho excessiva, o pouco acompanhamento do projeto e o exame valer mais que o projeto foram as críticas apresentadas pelos alunos. O professor diz que todos os alunos estavam abaixo das horas esperadas portanto não compreende porque é que se queixam da carga.

Mestrado

Design de Interação: Má comunicação entre os docentes foi a principal queixa apontada. O docente aceita essa crítica. Outro professor acha que há situações em que é impossível prever essa coordenação.

Oficina de design de comunicação: Uma aluna comenta positivamente a cadeira. Outra aluna diz que gostou das teóricas.

Design de Som: O atraso na entrega das avaliações e a aprendizagem de Pure Data foram os problemas apontados. O professor concorda com as afirmações, mas afirma que foi difícil avaliar tantos portfólios. Em relação ao Pure Data, os alunos acham que a matéria não vai ter uso no futuro, embora o professor ache que se for bem explorada, os alunos irão compreender a verdadeira aplicação da tecnologia. Ainda não se chegou a uma solução criativa.

Modelação e Materialização: Os alunos repetiram a crítica já comentada nos inquéritos que consiste na falta de agrado em usar um programa pirateado. Outro aluno disse que o DARQ oferece licenças e que a único elemento da cadeira que poderia ser melhorado era adotar um software livre (p.e. blender).

Tipografia Avançada: O pouco acompanhamento por parte dos docentes foi a principal crítica. Algumas alunas disseram que os projetos foram avaliados artisticamente e não em ao nível do design. Os alunos acham que a cadeira devia ser mais focada em frontend e no desenvolvimento de interfaces e não tanto em elementos artísticos. A professora Alice Geirinhas afirmou que pode ser útil como cadeira experimental e que esse é o objetivo da cadeira. O professor Licinio Roque concorda com a colega, que ter uma cadeira artística é importante. O docente Licinio Roque pediu para falarem com o regente acerca do projeto, sugerindo que este passe a ser experimental onde se possam aplicar todas as competências tecnológicas que já adquiriram. O aluno Rúben Fernandes disse que as notas são lançadas muito tarde e que há cadeiras obrigatórias que não fazem sentido todos os alunos ter, como no caso dele, em que há cadeiras que não vão servir de nada para o que ele pretende fazer no futuro. Não existe ligação entre as diversas cadeiras obrigatórias. A conclusão é que existem muitas cadeiras desnecessárias. Outra aluna concorda, e acrescenta que não é aprofundado matérias de design de interfaces, aliás não há cadeiras do assunto. O professor André Craveirinha concorda com a aluna.

Comentários relativos ao presente semestre

Projeto 4: A falta de organização e de não haver uma estrutura clara do trabalho a ser entregue foram algumas das críticas apresentadas. O professor Licinio Roque comentou, mas não se chegou a nenhuma conclusão.

Segundo painel - Infraestruturas

O docente Nuno Coelho avisou que o problema da má conexão à internet está a ser resolvido. Uma aluna sugeriu colocar cabides nas casas de banho das mulheres. O docente Nuno Coelho acrescentou que relativamente às casas de banho a burocracia da obra está a avançar.

A Márcia E. Santo referiu que existe um email exclusivo para os edificios, edificio@dei.uc.pt, o qual devia ser mais usado. Foi também mencionado que os emails não são respondidos mas são lidos.

Uma aluna questionou sobre a falta de aquecimento nas salas de aulas. A Márcia sugeriu que ela enviasse uma proposta para o email anteriormente referido.

O docente Nuno Coelho afirmou estar a tratar de arranjar salas com equipamento adequado para a cadeira de Design de Som. Mencionou também que os alunos de Design e Multimédia tem permissão para requisitar as salas com computadores na secretaria. Uma aluna argumentou que tentou requisitar uma destas salas e que foi necessário autorização de um professor responsável. A solução encontrada pelo professor Nuno Coelho foi pedir à secretaria para lhe telefonar nestas situações.